Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Silêncio Precisa-se!

 

Gostava tanto de chegar a casa e o clima estar calmo e tranquilo. Mas não. Isso não tem sido possível. Assim que chego tenho logo a matriarca a por-me a par do que se passou enquanto eu estava ausente.

 

Eu percebo que ela precise de desabafar mas eu também preciso de tranquilidade, de paz, de me afastar desta porcaria toda. Nem que seja só um bocadinho. Só gostaria de saber quando é que toda esta história vai ter fim.

 

Preciso de silêncio. Urgentemente. Ignorem-me. Não me digam nada. Não me perguntem nada. Não me peçam nada. Não me deem ordens. Por favor?!

 

My House Is A Living Hell.

 

Estou a viver no inferno. Foi nisto que esta casa se transformou. Sem fuga possível. Desde que o meu pai teve a paragem cardíaca, as coisas têm vindo a agudizar-se. 

Só faz porcaria, mente e aldraba. Faz-nos todos andar com os nervos à flor da pele. O pior é a minha mãe. São discussões diárias e ela anda com os nervos em frangalhos. Depois massacra-me a mim, repetindo as coisas vezes sem fim. Tenho imensa pena do meu irmão que é quem tem assistido in loco a muitas situações provocadas pelo meu pai. Eu vivo isto intensamente e em silêncio. Quantas vezes não desejo ser invisível ou ter o poder para me desfazer no ar...

 

Podem até dizer-me que eu posso "refugiar-me" um pouco destes probemas indo para a minha casa. Até pode ser, mas não resolve nada. Depois tenho a minha mãe a dizer-me que não tem ninguém que a apoie, embora ela me massacre diariamante com os seus relatos de situações. Que posso eu fazer, se acabo por estar envolvida nestes problemas familiares? Digo-vos que isto é insuportável.

 

Tenho chorado rios de lágrimas. Tenho o coração desfeito em mil pedacinhos. Sinto-me destruida ao ver que o meu pai não nos tem respeito nenhum e que, por mais que lhe tentamos incutir algum juízo e chamar à razão, ele despreza as nossas palavras. E ainda nos acusa de não estarmos ao lado dele... Pudera! Ele despreza a família em detrimento de tudo. Como podemos alguma vez estar do seu lado perante estas coisas todas? Como podemos estar ao seu lado se ele não tem feito mais nada senão prejudicar a família? Como podemos estar ao seu lado se ele eleva quem lhe faz mal? Como podemos estar do seu lado se é engrupido por todos e, mais uma vez, está contra a família por causa desta gente?

 

Só vos digo que esta situação tem estado a ser insustentável, surreal mesmo. E não passa jamais. Nem o tempo a faz melhorar. Não dizem que o tempo cura tudo?

 

Espero que não divulguem este pequeno segredo que partilhei convosco. Só vos contei isto para ver se aliviava mais um bocadinho o meu coração. Para ver se não saia de casa, mais um dia, com as lágrimas a saltarem-me dos olhos...

 

Efeito Espelho

  

Uma história tem sempre duas versões: a verdadeira e a de quem a vive.

 

As situações são sempre as mesmas, quase como se fossem dèja vu. E os protagonistas também não mudam. Vivem-se histórias rocambolescas e de confusão, trocam-se acusações e recriminações, perde-se o respeito e baralham-se hierarquias.

 

Quem manda perde o comando e quem não manda assume-o. Arrastam-se hostes de fracos de espírito que se convencem com mentiras provenientes de um mundo efabulado.As hostes julgam ter força para derrotar um grão de pó. E a hierarquia riposta, e tenta manter a sua cabeça altiva.

 

Narra-se um lado da história, conta-se o outro. E deparamo-nos com um espelho. Cada parte da história reflecte no seu antagonista.

E eu... eu sou uma mera vírgula que separa as palavras, que permite a pausa, que quebra o espelho.